Disfunção do pavimento pélvico na mulher

O pavimento pélvico é o conjunto de músculos e ligamentos da região inferior da cavidade pélvica que cria um suporte entre os ossos da pélvis. Na mulher, é formado pela bexiga e uretra, útero e vagina. São diversas as funções desempenhadas pelo pavimento pélvico na vida de uma mulher, sendo por isso importante realizar um cuidado minucioso do mesmo.

  • Função de suporte: o períneo suporta a bexiga, o útero, a vagina e o reto.
  • Funções de continência: o pavimento pélvico é responsável por controlar o funcionamento dos esfíncteres, garantindo que a micção e a defecação ocorram corretamente.
  • Função reprodutiva: esses músculos ajudam na rotação da cabeça do bebé durante o parto e provocam uma contração reflexa no útero, causando um desejo de empurrar na mulher que está a dar à luz.
  • Função sexual: ter o pavimento pélvico bem tonificado melhora a qualidade das relações sexuais. A contração dos músculos bulboesponjoso e isquiocavernoso auxilia na ereção, ejaculação e orgasmo.

Existem diversos problemas de saúde relacionados com o pavimento pélvico, tais como prolapsos urogenitais, problemas urinários e fecais, problemas sexuais e dor pélvica, todos eles significativos e que afetam consideravelmente a qualidade de vida da mulher.

Sintomas que indicam um problema no pavimento pélvico e que requerem consulta médica:

  • Pequenas perdas de urina com esforços como tossir, espirrar, saltar, etc.
  • Vontade de urinar com mais frequência do que antes sem causa justificada
  • Perda de gases ou incontinência fecal
  • Obstipação ou dificuldades no esvaziamento durante a defecação
  • Sensação de maior abertura vaginal
  • Infeções urinárias recorrentes
  • Disfunção sexual (dor nas relações, pior qualidade do orgasmo, etc.)

No caso de uma mulher reportar alguns destes sintomas na farmácia, podemos recomendar algumas medidas que podem melhorar a sua qualidade de vida.

  1. Medidas higiénico-dietéticas
    • Alterações na dieta: Evitar produtos como álcool, cafeína, bebidas e alimentos ácidos, adoçantes e especiarias.
    • A redução do peso corporal em 3-5% pode diminuir os episódios de incontinência em até 50%.
    • Evitar o tabagismo. Os componentes do tabaco irritam a bexiga e causam incontinência de urgência.
    • Recomendar exercícios de Kegel e reabilitação. Atividades para fortalecer os músculos abdominais e das costas.
    • Encaminhar a mulher para um fisioterapeuta ou treinador especializado que possa ajudar.
  2. Encaminhar para o médico para obter um diagnóstico correto e implementar todas as medidas que possam melhorar a sua situação e qualidade de vida
  3. Receitar e/ou dispensar medicamentos para aliviar problemas pélvicos. Devemos sempre verificar a medicação que a mulher está a tomar para evitar interações, ou procurar alternativas ao uso de medicamentos que possam piorar os sintomas.


  4. Indicar produtos e medidas de autocuidado que melhoram a qualidade de vida da mulher (o fortalecimento pélvico, os produtos para incontinência como as compressas, o sabonete íntimo e os cremes de barreira, e produtos para melhorar a saúde sexual, como massajadores externos, hidratantes internos e lubrificantes).

Se tiver alguma dúvida relacionada ou quiser partilhar a sua história connosco, escreva-nos através das nossas redes sociais: Facebook e Instagram. Estamos atentos!.