A Dispareunia e o Vaginismo

Muitas mulheres sofrem com desconforto ou dor durante as relações sexuais em qualquer fase, seja durante a excitação sexual, o orgasmo ou a penetração. Existem momentos em que esses desconfortos ocorrem sazonalmente ou em determinadas fases, mas também há mulheres que os experienciam ao longo de toda a vida. Esses problemas relacionados à resposta sexual são conhecidos como disfunção sexual.
Apesar de ser um tema cada vez mais discutido, as disfunções sexuais, além do desconforto físico, geram angústia e aflição, podendo até causar tensão no relacionamento.

Classificação das Disfunções Sexuais

As disfunções sexuais podem ser classificadas em três tipos:

Transtorno da excitação sexual: Caracteriza-se pela diminuição ou ausência do interesse sexual, incluindo pensamentos ou fantasias sexuais. Pode envolver pouca ou nenhuma resposta de lubrificação durante a atividade sexual.

Transtornos do orgasmo: Envolve a incapacidade de atingir o clímax sexual, além de atrasos, ocorrências infrequentes ou intensidade reduzida, mesmo com estimulação sexual adequada e excitação ótima.

Transtornos por dor: Dor persistente na zona genital ou pélvica durante as relações sexuais, superficial ou profunda, podendo tornar a penetração impossível. O medo e a ansiedade antes da tentativa podem intensificar o problema, levando à aversão do contato sexual.

A Gynea, mulher sem filtros, deseja abordar este último tipo de disfunção sexual, através de duas condições comuns entre as mulheres: dispareunia e vaginismo.

Dispareunia e Vaginismo:

Estas duas disfunções sexuais afetam mulheres em diferentes estágios, reprodutivos e pós-reprodutivos, e costumam ter um impacto negativo na saúde sexual e na qualidade de vida.

Dispareunia:

A dispareunia é a dor genital persistente ou recorrente que ocorre antes, durante ou após relações sexuais. Esta dor pode surgir exclusivamente durante a penetração sexual ou a cada penetração não sexual, como ao inserir um tampão ou durante um exame ginecológico, por exemplo. Pode manifestar-se como uma intensa dor durante a penetração, uma sensação de ardor ou desconforto, ou uma dor pontiaguda que pode durar horas após a relação sexual.

As causas físicas da dispareunia podem variar dependendo do momento em que a dor ocorre:

  • A dor durante a penetração sexual pode estar relacionada à falta de lubrificação devido a uma estimulação prévia insuficiente, baixos níveis de estrogénio após a menopausa, parto ou amamentação. Também pode estar associada a alguns medicamentos, como antidepressivos.
  • Lesões, traumas ou irritação na área devido a cirurgia pélvica, acidentes, circuncisão feminina ou episiotomia (incisão feita no períneo, o tecido entre a abertura vaginal e o ânus) durante o parto para facilitar o nascimento.
  • Inflamação, infeção ou distúrbios na pele, como cistites, eczemas ou candidíase vaginal, entre outras condições.
  • Certas doenças como endometriose, doença inflamatória pélvica, prolapso uterino, útero retrovertido, fibromas uterinos, síndrome do cólon irritável, disfunção do pavimento pélvico, adenomiose, hemorroidas e cistos ovarianos, entre outros.

Vaginismo:

O vaginismo é a contração involuntária dos músculos que rodeiam a vagina, fazendo com que esta se estreite, evitando a penetração, seja sexual ou não. Pode ser de tipo primário, quando a mulher sempre sofreu com dor durante a penetração, ou secundário, quando essa contração involuntária surge repentinamente com todos os parceiros ou com um específico.
Entre as possíveis causas, embora também possam ser físicas (por exemplo, como resultado de uma episiotomia), geralmente estão incluídos fatores psicológicos e emocionais, como trauma ou abuso sexual, medo das relações sexuais, educação negativa sobre sexualidade, problemas afetivos com o parceiro, questões de saúde mental, entre outros.

Concluindo, as disfunções sexuais não têm apenas uma causa física; as emoções estão intimamente ligadas à atividade sexual, tanto nas causas quanto nos efeitos. O tratamento deve ser abrangente, considerando todos os aspetos relacionados a cada caso específico.

Se enfrenta alguma disfunção sexual, recomendamos procurar profissionais que possam ajudar no tratamento, melhorando significativamente a sua qualidade de vida, tanto sexual quanto não sexual.

Na Gynea, mulher sem filtros, há um espaço para falar, consultar e esclarecer todas as dúvidas sobre este e qualquer outro tema relacionado à saúde da mulher. Esperamos por si também nas nossas redes sociais: Facebook e Instagram.

Fontes consultadas:

Mayo Clinic

Centro médico Teknon

MedLine Plus

Clínica Salabria

ITAE Psicología