Mitos sobre as infeções vaginais

As infeções vaginais são frequentemente um tema tabu entre as mulheres. Ao estarem muitas vezes associadas às Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), as mulheres sentem-se culpadas quando as têm, especialmente as mais jovens, e geralmente não partilham isso com ninguém do seu círculo. A falta de comunicação leva à criação de certos mitos sobre o tema.

Por isso, neste post, vamos analisar o que há de verdadeiro em toda a informação criada em torno das infeções vaginais:

As mulheres grávidas estão mais propícias a infeções vaginais: VERDADEIRO

A gravidez carrega muitas mudanças físicas e hormonais. Essas mudanças também afetam o pH vaginal e a sua microbiota, tornando o desenvolvimento de uma infeção mais fácil. Tais infeções podem ter efeitos prejudiciais para a mãe e para o bebé, podendo até causar partos prematuros.

Os duches vaginais são um bom método para prevenir infeções: FALSO

O excesso de duches vaginais pode alterar o pH e favorecer o aparecimento de infeções. Também não são recomendados produtos perfumados ou qualquer produto de higiene que não seja adequado para a zona íntima.

Alguns medicamentos aumentam o risco de sofrer uma infeção vaginal: VERDADEIRO

É o caso dos antibióticos e dos contracetivos. Os antibióticos atacam as bactérias, incluindo aquelas que compõem a flora bacteriana. O enfraquecimento da flora, aumenta o risco de infeção. No caso dos contracetivos, foi observado que podem aumentar o risco ao modificar o pH vaginal.

O corrimento vaginal indica que temos uma infeção vaginal: FALSO

Ter corrimento vaginal é normal e varia com a idade e a fase do ciclo menstrual. A cor natural do corrimento é branca ou transparente, se tiver outra cor, como amarela ou esverdeada, e estiver acompanhada de outros sintomas como prurido ou ardor, é motivo de preocupação e sinal de possível infeção. Nesse caso, o ginecologista realizará uma análise do exsudado vaginal para diagnosticar o tipo de infeção.

Sentir prurido ou ardor significa ter fungos: FALSO

Sentir prurido ou ardor, embora sejam sintomas de fungos como a Candida, não significa necessariamente ter fungos. O prurido pode ser causado por outra infeção vaginal transmitida por um microorganismo diferente dos fungos, como bactérias. Também pode ser causado por irritação. É importante não se automedicar com cremes antifúngicos sem antes ter sido diagnosticada por um médico.

As infeções vaginais são sempre adquiridas por transmissão sexual: FALSO

Embora seja verdade que a maioria das infeções vaginais pode ser transmitida sexualmente, também podem ser causadas por outras razões. Por exemplo, pode-se ter candidíase sem nunca ter tido relações sexuais. A candidíase é causada por um fungo e aparece em áreas húmidas do corpo, como a vagina. Usar roupas apertadas, manter a área húmida por muito tempo, usar sabonetes perfumados ou tomar antibióticos pode favorecer o aparecimento da infeção.

Ter uma vida sexual ativa favorece o aparecimento de infeções: FALSO

Se tiver um parceiro sexual estável e nenhum de vocês tiver DSTs, não há risco superior de infeção. Também não deveria haver se tiver múltiplos parceiros sexuais e usar proteção adequada. Não usar proteção ou usá-la incorretamente SIM aumenta o risco de infeção. De qualquer forma, é recomendável fazer revisões ginecológicas periódicas.

Uma higiene correta da zona íntima ajuda a reduzir o risco de infeções: VERDADEIRO

O uso de produtos naturais com componentes antisséticos, como óleos essenciais, pode ajudar a prevenir infeções ou servir como coadjuvante no tratamento.